Você está em Artigos

A carne suína sem preconceitos

Muitas pessoas consideram a carne suína um alimento gorduroso, rico em colesterol e perigoso (devido à possibilidade da transmissão e desenvolvimento de parasitas).

Mas, na verdade, estamos sujeitos à contaminação por parasitas ao ingerirmos qualquer carne mal cozida, seja de bovinos ou suínos, que esteja contaminada.

No caso da contaminação da carne bovina, o homem poderá desenvolver a Taenia saginata, a chamada solitária, e na contaminação da carne suína, a Taenia solium.

A carne de porco é uma das carnes mais nutritivas, pois é rica em vitaminas B6, B12, tiamina, riboflavina, cálcio, fósforo, zinco e ferro.

Um dos seus diferenciais é a alta concentração de potássio (interessante para pessoas que sofrem com pressão alta, pois o potássio ajuda a regular o aumento dos níveis de sódio). No que diz respeito à quantidade de gordura, há variação de acordo com a parte do porco que é consumida, por exemplo, 70% da gordura está localizada no toucinho e apenas 30% no restante do corpo.

A carne suína apresenta baixos teores de gordura se retirarada a pele, e no interior dos músculos encontramos apenas 1,1 a 2,4 % de gordura.

Essa quantidade equivale a encontrada na carne de frango e é menor que a da carne bovina (2,5%) e ovina (6,5%). 

Além do que, a carne suína apresenta uma proporção maior de gorduras insaturadas (benéficas) do que de gorduras saturadas (indesejáveis), ao contrário da carne de gado. Um filé de 100 gramas de lombo de pernil cozido possui  de 69 a 82 mg de colesterol, nível semelhante ao de outras carnes.

Como referenciar: "A carne suína sem preconceitos" em Só Nutrição. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2019. Consultado em 22/08/2019 às 14:58. Disponível na Internet em http://www.sonutricao.com.br/conteudo/artigos/carne_suina/