Você está em Artigos

Cozinha espanhola

Tradicional e sofisticada, a cozinha espanhola se revela diferente e saborosa em cada uma de suas regiões.

Por outro lado, alguns pratos como a paella, o cocido, a tortilla e o gazpacho são conhecidos e produzidos em quase todo o país.

Determinados ingredientes também fazem a alegria de grande parte dos espanhóis. Açafrão, azeite de oliva, alho e pimentão são algumas das marcas registradas dessa especialidade culinária.

Na divisa com Portugal, na região noroeste da Espanha, a Galícia, conhecida por seu litoral bem recortado, reúne uma imensa variedade de peixes e mariscos.

É lá que estão também as melhores vitelas da Espanha. Na vizinha região de Astúrias, também ao norte, a fabada é o prato mais tradicional. Nela combinam-se as fabas (feijão branco) com os embutidos, orelhas de porco e defumados.

No País Basco, extremo-norte da Espanha, a famosa lula e as pequenas enguias dividem reconhecimento com os deliciosos cordeirinhos assados na brasa.

Já a Catalunha, localizada no nordeste hispânico, possui uma cozinha bastante especial porque mistura na mesma receita frutos do mar e pequenos animais. Sua capital, a majestosa Barcelona, apresenta a originalidade do molho romesco que combina amêndoas com pimentão doce moído e é utilizado principalmente com peixes.

A exceção fica por conta de Valência, na parte sudeste da Espanha. Em suas planícies entrecortadas por montanhas, crescem os arrozais que fizeram nascer a famosa paella, que pode ser feita de diversas maneiras. O clima quente da Andaluzia, no extremo-sul do país, deu origem ao magnífico gazpacho: uma sopa fria de tomates e legumes.

E, finalmente, na Castilla, bem ao norte de Madrid, é possível encontrar leitões bem pequenos e assados, os chorizos e o cocido: uma profusão de carnes de porco e linguiças servidas com muito grão de bico.

Receitas típicas da culinária espanhola

Churro: A iguaria começou a ser consumida no final do século 19, na Catalunha, e logo passou a fazer parte do gosto popular. Não se sabe ao certo quem introduziu a guloseima na região, mas o resto da história é bem conhecido: o churro passou a ser saboreado no país todo e ganhou os paladares do mundo.

A origem do doce, no entanto, remonta a tempos muito mais distantes, já que foram os povos árabes que introduziram a receita na península ibérica. Passados os séculos, o churro acabou sendo adaptado ao paladar de outros países, como a Venezuela, a Argentina, o Uruguai e o Brasil (que costumam prepará-lo com diferentes recheios), passando a ser mais uma amostra de como a cultura árabe influencia e se funde ao mundo ocidental.

Paella: Originária de Valencia, a iguaria ganhou fama em outras regiões da própria Espanha e, mais tarde, em cardápios do mundo todo.

Servida em festas, comemorações e finais de semana, a paella costuma ser preparada pelos homens, em geral o chefe da casa. Daí a origem de seu nome "para ella", já que a comida é oferecida às mulheres.

Nos séculos 16 e 17, quando os valencianos saíam cedo para trabalhar, tinham o hábito de levar um pequeno carregamento com arroz, sal, azeite e uma grande panela redonda. Na hora em que a fome apertava, caçavam o animal que estivesse por perto, pegavam os legumes que encontravam pelo caminho, misturavam tudo e faziam o almoço.

O clima de confraternização atravessou os tempos e pode ser experimentado até hoje ao redor de uma mesa que serve o delicioso prato espanhol. Já que era feita praticamente de improviso, cada região adaptou a comida de uma forma diferente. Apareceram então a paella marinera, elaborada com frutos do mar, a mista, feita com diversas carnes, e a negra, misturada com tinta de lula.

Para prepará-la é imprescindível o uso da tradicional paellera, também chamada de paella, uma panela grande, redonda e rasa, capaz de cozinhar o arroz em extensão e não em altura, detalhe importantíssimo da receita. A qualidade e a quantidade certa de água também são fatores decisivos na hora do preparo.

- Sonho: Preparado à base de uma massa que leva leite, farinha, ovos e fermento em sua receita, a guloseima enfeita as vitrinas das padarias e doçarias. Originalmente, o prato espanhol é frito em azeite puro em abundância antes de ser recheado. Na Espanha, existem sonhos de quase tudo: vento (fritos de tal maneira que se incham e ficam sem massa por dentro), queijo, bacalhau, purê de batata e noz moscada, calabresa e maçã.

Já na América Latina, e especialmente no Brasil, os sonhos ganharam fama como doce. Por aqui, o recheio açucarado feito com ovos e amido de milho é que faz sucesso.

Como referenciar: "Cozinha espanhola" em Só Nutrição. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2019. Consultado em 15/09/2019 às 13:55. Disponível na Internet em http://www.sonutricao.com.br/conteudo/artigos/espanhola/