Você está em Artigos

Minerais e suas deficiências

Boro

O boro é um mineral importante para a absorção de cálcio e magnésio.

Condições associadas à baixa taxa de boro

Artrite;
Artrose;
Osteoporose;
Problemas hormonais (diminuição de estrogênio);
Depressão;
Sintomas de menopausa.

Fatores que contribuem para a baixa taxa de boro

Alimentação inadequada;
Alterações hormonais.

Fontes

Frutas, água, legumes, castanhas de plantas dicotiledôneas, grãos e cereais integrais.

Cálcio

O cálcio é importante para o crescimento e para a resistência dos dentes e dos ossos. Controla a condução de impulsos nervosos e a contração muscular.

Condições associadas à baixa taxa de cálcio

Ansiedade;
Nervosismo;
Alteração de humor (bipolaridade);
Dificuldade de concentração;
Depressão;
Fadiga;
Insônia;
Artrite;
Artrose;
Osteoporose;
Alergias;
Aumento de peso.

Fatores que contribuem para a baixa taxa de cálcio

Alto consumo de proteínas;
Alta retenção de fósforo;
Acidose do tecido;
Alta ingestão de carboidratos.

Fontes

Leite, iogurte, queijo, soja, sardinha, salmão, nozes, semente de girassol, feijão, verduras e ovos.

Ferro

Encontrado principalmente na hemoglobina, sua principal função está relacionada ao transporte de oxigênio. Os principais depósitos de ferro no organismo são a ferritina e a hemosiderina, presentes no fígado, nas células reticuloendoteliais e na medula óssea.

Condições associadas à baixa taxa de ferro

Irritabilidade;
Fadiga e cansaço;
Constipação;
Taquicardia;
Palpitações;
Confusão mental;
Anemia.

Fatores que contribuem para a baixa taxa de ferro

Alimentação deficiente em ferro;
Acúmulo de ferro no intestino;
Prisão de ventre.

Fontes

Carnes, feijão, lentilha e ovos.

Cromo

O cromo participa do metabolismo da glicose, fazendo a manutenção da concentração de glicose no sangue e potencializando o efeito da insulina. Também estimula o transporte de aminoácidos e é fundamental para a síntese proteica.

Condições associadas à baixa taxa de cromo

Diabetes;
Colesterol aumentado;
Intolerância à glicose;
Vontade de consumir doces;
Ansiedade;
Apreensão.

Fatores que contribuem para a baixa taxa de cromo

Alimentação inadequada;
Excesso de açúcares;
Alimentos refinados;
Excesso de gorduras saturadas;
Exercício físico intenso;
Envelhecimento.

Fontes

Levedo, trigo integral, germe de trigo, carnes, fígado, ostra, batata, ovos, maçã, brócolis, cevada, alimentos integrais e castanhas.

Magnésio

O magnésio está envolvido em reações enzimáticas, nas quais utiliza ou forma ATP (energia). São exemplos dessas reações: contração muscular, síntese de proteínas e metabolismo energético.

Condições associadas à baixa taxa de magnésio

Ansiedade;
Apreensão;
Impaciência;
Nervosismo;
Agitação;
Espasmos musculares;
Dores musculares;
Alterações no sistema nervoso central;
Hipoglicemia reacional;
Convulsão;
Alzheimer;
Parkinson;
Transpiração excessiva;
Hipercolesterolemia;
Hipertensão arterial;
Arritmia cardíaca;
Aumento da atividade plaquetária.

Fatores que contribuem para a baixa taxa de magnésio

O uso prolongado de diuréticos pode causar deficiência de magnésio. Além disso, a hipomagnesemia pode ocorrer em quadros de má absorção intestinal e alteração da função renal. O magnésio pode estar baixo em casos de epilepsia, alcoolismo, anticoncepcional, doença de Addison, hiperparatireoidismo, dieta pobre em magnésio, insônia tardia.

Fontes

Figo, limão, bergamota, verduras, peixes, maçã, banana, espinafre e milho.

Lítio

O lítio está relacionado às alterações do transporte realizado pelas membranas celulares (via cerebral-neurotransmissores). Auxilia ainda nas funções eliminatórias pelas vias urinárias, nomeadamente a ureia e o ácido úrico.

Condições associadas à baixa taxa de lítio

Ansiedade;
Angústia;
Depressão;
Nervosismo;
Instabilidade;
Agitação;
Bipolaridade;
Irritabilidade;
Perturbação do humor;
Psicodermatose.

Fatores que contribuem para a baixa taxa de lítio

Alimentação inadequada.

Fontes

Gengibre, algas, cogumelos, nozes, alface, agrião, água.

Potássio

O potássio é um elemento muito importante, constituindo cerca de 5% do conteúdo total de minerais no organismo. Assim como o cloro e o sódio, o potássio está envolvido no balanço e distribuição de água, no equilíbrio osmótico, no equilíbrio ácido-base e na regulação da atividade neuromuscular. Além disso, esse mineral promove o crescimento celular.

Condições associadas à baixa taxa de potássio

Vômito;
Distensão abdominal;
Redução ou ausência de reflexos;
Hipotensão;
Dilatação cardíaca;
Arritmia.

Fatores que contribuem para a baixa taxa de potássio

Alimentação inadequada;
Alimentação pobre em potássio.

Fontes

Vegetais, frutas e cereais integrais.

Selênio

O selênio é um elemento nutriente, atua defendendo o organismo contra o estresse oxidativo. Esse mineral evita a ocorrência da doença de Keshan (cardiomiopatia juvenil), alterações pancreáticas e promove o crescimento corpóreo.

Condições associadas à baixa taxa de selênio

Envelhecimento precoce;
Câncer;
Degeneração pancreática;
Mialgia;
Queda de cabelo;
Unhas fracas e com manchas;
Aftas;
Doenças do coração.

Fatores que contribuem para a baixa taxa de selênio

Alimentação inadequada.

Fontes

Frutos do mar, castanhas, carne bovina e carne de aves.

Vanádio

O vanádio é um elemento essencial que influencia diretamente o metabolismo das gorduras, limitando a formação de placas de colesterol.

Condições associadas à baixa taxa de vanádio

Hipertireoidismo;
Diabetes;
Doença cardiovascular.

Fatores que contribuem para a baixa taxa de vanádio

Alimentação inadequada;
Deficiência em vanádio.

Fontes

Mariscos, cogumelos e salsinha.

Zinco

O zinco é um dos minerais mais importantes para o organismo humano, além de ser o mais abundante entre os metais de transição. Atua como componente em mais de 80 metaloenzimas, estando envolvido no metabolismo de ácidos nucleicos e não apresentando processos que possam levar à formação de radicais livres.

Condições associadas à baixa taxa de zinco

Irritabilidade;
Agitação/Hiperatividade;
Falta de concentração;
Acne;
Manchas brancas nas unhas;
Unhas fracas;
Retardo no crescimento;
Anemia suave;
Diminuição do paladar;
Queda de cabelo;
Lesões na pele, dermatites e manchas;
Caspa;
Baixa da imunidade.

Fatores que contribuem para a baixa taxa de zinco

Alimentação inadequada;
Alimentos pobres em zinco.

Fontes

Carnes bovinas, peixes, aves, ostras, mariscos, cereais, nozes e feijão.

Molibdênio

O molibdênio é um dos grandes responsáveis no organismo em ativar certas enzimas importantes para a homeostasia (equilíbrio). A elevação da ingestão de cobre pode afetar diretamente este elemento, colaborando para reduzi-lo no organismo.

Condições associadas à baixa taxa de molibdênio

Taquicardia;
Náusea;
Vômito;
Desorientação;
Dor de cabeça.

Fatores que contribuem para a baixa taxa de molibdênio

Alimentação inadequada;
Alto consumo de alimentos ricos em cobre.

Fontes

Leguminosas, grãos de cereais, vegetais de folha verde escura, vísceras.

Como referenciar: "Minerais e suas deficiências" em Só Nutrição. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2018. Consultado em 09/12/2018 às 22:00. Disponível na Internet em http://www.sonutricao.com.br/conteudo/artigos/minerais/